terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Luto: “Demazão e a Serra Pelada?“



       Durante muitos anos essa frase foi entoada por dezenas de ex-garimpeiros sedentos por informações atualizadas do Eldorado paraense, uma utopia que o preenchia. E ai de quem duvidasse que um dia ele “bamburraria”.

       Nunca esquecerei dos almoços em Família marcados para o meio-dia onde sua impaciência fazia-o almoçar bem antes, já chegava com a camisa suja do caldo que escorria de sua boca, entregando que já tinha almoçado.
       Gostava da política, se entregava a ela, era fiel.
       Aquela cadeira de macarrão nunca mais será a mesma. A calçada está órfã. O ouro que não conseguiu ver, enquanto vida possuía, nesse exato momento, está ladrilhando o chão do Céu que resolveu habitar.
       Mais um sertanejo que se vai, mais uma berrante que se aposenta.
       Descanse meu tio.



Autor: Dr. Nelson Jonas

Um comentário:

Unknown disse...

Descanse em paz seu Valdemar que Deus lhe ponha em um bom lugar amém 🙏.
Meus pêsames a família e amigos 🖤

Postar um comentário