segunda-feira, 13 de maio de 2019

 O Silêncio ensurdecedor do Cascaria


Já faz algum tempo que a oposição tenta fazer barulho, levantam o nome de um candidato, jogam na rua e quando percebem que não decolou: queimam-no, descartando para em seguida, procurar outro.

É aquele blefe de soltar um foguete pra ver se a população questiona o porque daquela festa. É como alguém que está agonizando: quem vê de longe, jura que o paciente está bem, está até se mexendo, no entanto, ele está dando o último suspiro.

 Cascaria até o momento não moveu uma palha, não precisa! com uma oposição dividida e desfigurada como essa, ele precisa trabalhar pouco. Eles querem parecer uma Hidra: aquele personagem da mitologia grega que têm varias cabeças, no fundo ela está mais para o nosso folclore popular: uma mula sem cabeça.

 O silêncio é uma confissão e o Cascaria em silêncio é um ato político. Mesmo que você não goste, tudo é política, inclusive o silêncio conivente e fantasiado de neutralidade.

 São necessários dois anos para aprendermos a falar e muita maturidade para aprendermos a silenciar. Saber calar nos momentos certos é uma arte preciosa. Só devemos falar quando temos a certeza de que nossas palavras serão mais úteis que o nosso silêncio. Jesus se calou diante de Pilatos. Se pensarmos bem, veremos que tudo de bom é gerado no silêncio: a oração que nos eleva; o legume que cresce no silêncio da noite; as descobertas da ciência nas noites de pesquisa; os grandes livros escritos na solidão... A natureza trabalha continuamente, mas em silêncio. Onde cessa o barulho começa a música. Antes de falar, opinar, discutir, é preciso “ouvir o silêncio”.

 O livro do Eclesiástico diz que: “Há quem se cala por não saber falar, e há quem se cala porque reconhece quando é tempo de falar” (Eclo 20,6). Calar sobre nós mesmos, é humildade, calar sobre os defeitos dos outros, é respeito. Calar quando a gente está sofrendo, é prova de fé e de heroísmo e muito agrada a Deus. Mas calar diante do sofrimento dos outros pode ser omissão e calar diante da injustiça, pode ser fraqueza.

Calar quando o outro está falando, é delicadeza. Calar e não falar palavras inúteis, que possam fazer mal, destruir a paz e a harmonia, é penitência. Calar quando não há necessidade de falar, é prudência. Calar diante do mistério que não entendemos, é sabedoria. 

A oposição é o cão que ladra mas não morde.
A situação: aquele pai que só com o silêncio do olhar impõe respeito.

3 comentários:

Anônimo disse...

Pelo geito não vai existir nenhum candidato da oposição, pois um dia é fulano e no outro siclano, ah esse nome não deu tanto impacto Que tal tentarmos outro? O certo é que estamos incomodando com o silêncio do cascaria pois dar pra ver que nenhum nome que indicamos faz o homem se manifestar.
como vamos pra guerra se não sabemos o que vamos enfrentar para assim podermos contratacar.
assim fica difícil.

Anônimo disse...

E o concurso o Homem vai ou não vai fazer? Ou o cascaria vai deixa outro fazer no lugar dele? Só Ta faltando ele fazer isso agora.

Anônimo disse...

E o Homem vai ou não vai fazer o concurso? Ou ele vai deixa o outro que entra no lugar dele fazer.

Postar um comentário