sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

POESIA DE FILHO MOURA: HOMEM DO CAMPO

      Homem do campo



Sou homem da roça 
Não o da música cantada 
Tenho calo nas mãos 
Minha vida é pesada Planto, rego, cuido e cultivo 
Não tiro a mão da inchada.

A roça é minha vida 
O mato é minha casa
 Da roça tiro o sustento 
Minha vida é dura, minha vida é ralada.

Planto Milho, o arroz e o feijão
 Planto o tomate, cenoura e mamão 
"Abroba", pipino, alface e melão De luta em luta e de grão em grão

Meu trabalho é meu prazer
 Tenho amor por esse chão 
Embora que me faça sofrer 
É assim que ganho meu pão

 De dia em dia, de hora em hora 
O homem do campo trabalha e vai embora Mais uma missão foi cumprida
 Mais um dia de lida...
 São dias de luta... 
Dias de glória!

Créditos: Poeta Moura

Nenhum comentário:

Postar um comentário