quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

QUE TIPO DE ELEITOR É VOCÊ?

Os tempos mudaram, os eleitores precisam se adaptar.


Na política local, sempre houve 3 tipos de Eleitores: O financiador: Aquele que não tem votos, não faz fofoca, mas ajuda financeiramente na campanha. No final cobram a fatura, são os mais beneficiados economicamente.

Os cabos eleitorais: Geralmente são políticos da ativa ou lideranças do interior, não tem dinheiro, não fazem fofoca, mas tem votos: Cabem a esses, receberem secretarias e cargos de segundo escalão, ganham pouco, mas se contentam com o falso poder que o cargo lhe proporciona.
 E por fim, tem os Zuadentos: Não possuem dinheiro, não tem votos mas pensam que são lideranças, não falam “ Eu voto em você “ e sim “ Eu te apoio “ como se a ele concedesse o poder de multiplicar o único voto do qual ele tem poder: o dele próprio. Mas tem coragem de fazer Zoada, fofocas, intrigas. Esse tipo de eleitor briga com o vizinho, se separa da mulher, se intriga com a mãe, faz o jogo sujo e desnecessário que o candidato não tem coragem de fazer. Cabe a esse tipo de eleitor, quando muito, cargos de garoto de recado, de perseguidor de funcionários, são o sub-troços do vice-trecos, ficam contentes por receberem 1 salário e entram em êxtase se forem convidados para um churrasco na casa do Prefeito. É especificamente pra esses, que gostaria de me dirigir. Não se comportem como o Frango da propaganda da Sadia, que ficam contentes ao ver um frango assado, ou seja , consciência de classe: Zero. Gostam de levar fofocas, fazer intrigas e prejudicar. Para esses eleitores eu tenho uma péssima notícia a lhe dar: Vocês são descartáveis, os políticos toleram, suportam mas não gostam de eleitores assim. E se tudo mudou, porque você não pode mudar também?
 O rouge virou blush, brilho virou gloss, anabela virou plataforma, corpete virou porta-seios, que virou sutiã, a peruca virou aplique, que virou implante.”Problemas de moça" viraram TPM, crise de nervos virou estresse, purpurina virou gliter e goma virou gel. A cueca capa garrote virou sunga e tanga virou fio dental, PLOC virou big-big, a la-carte virou self-service, espaguete virou Miojo, paquera virou pegação, praça virou playground, LP virou CD que virou Pendrive que agora é Streaming, carta agora é email e mensagem virou torpedo que virou direct. O samba virou pagode, folclore brasileiro virou halloween, forró pé de serra ficou eletrônico, fortificante não é mais Biotônico, catuaba com amendoim virou Viagra, bicicleta virou Bis, polícia e ladrão virou counter strike. A bala antes era “ Estramites” agora é perdida. Mestre, virou professor e agora é facilitador.
 Se tudo mudou, porque continuar com o mesmo jeito de fazer política?.
Vimos na última Eleição municipal e muito mais intensamente nessa eleição para Presidente, uma mudança de como se obter informação, hoje leva vantagem quem se comunica melhor em todas as mídias, seja: blogs ou redes sociais. Portanto, na próxima eleição, influenciará mais, não quem fizer mais zuada em bares ou rodas de fofocas mas sim, quem souber lidar melhor com as mídias Sociais, pois o alcance é maior e bem mais rápido.
 Chegou o tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas que já tem a forma do nosso corpo e esquecer os velhos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado para sempre à margem.
 E você ? É qual tipo de Eleitor ? Ou melhor, que tipo de Eleitor você pensa que é ?

Créditos: Dr. Nelson Jonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário