domingo, 20 de janeiro de 2019

PENSANDO COMO FILHO - POR PATRÍCIO FÉLIX


A bíblia relata a história de Jó, homem íntegro, reto e temente a Deus que se desviava do mal, o homem mais rico do oriente. Jó era um pai presente, tinha tanto cuidado com os filhos que intercedia junto à Deus constantemente por eles, pois sabia da possibilidade de não haver nos mesmos igual dedicação na adoração à Deus. Um dia algo inesperado aconteceu, Jó perdeu tudo, seus bens materiais e seus filhos (sua maior dor), seu mundo desaba e diante de tamanha perda e dor, diz: “Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor.” Jó 1:21 Jó ainda sofre com a perda de sua saúde e, de colo, ainda tem que conviver, nos próximos dias, com três amigos que, em vez de animá-lo, o acusam de infidelidade à Deus, razão pela qual estaria ele passando por tamanha tribulação. Essa história tem um final feliz, Jó recebe em dobro tudo o que se havia perdido e, ainda, conhece a Deus pessoalmente “Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos.” Jó 42:5. Livro extraordinários das Sagradas Escrituras, nele há muito o que se aprender sobre vários assuntos, mas uma declaração de Jó fica marcada em mim, me intriga, me instiga a refletir acerca de como estou vendo a vida, em qual direção estou indo, a declaração é: “Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu.” Jó 3:25 Os acontecimentos de nossa vida em sua maioria são inesperados, pode nos acontecer fatos que nos reservam alegria ou tristeza, riso e euforia ou choro e decepção. Todos estamos sujeitos a própria sorte, ao acaso, ou Deus privilegia uns seres especiais e reserva a eles uma vida triunfante, sem problemas? Perguntas ficam na maioria das pessoas, quando diante de certas situações, sempre desejam saber o porquê do acontecido. O que pretendo trazer a luz é que dependendo de como nós encaramos a vida, assim encaminhará o destino dela. Há estudos na ciência, especificamente na física quântica, que dizem que o nosso pensamento determina a nossa realidade, me parece que foi o que ocorreu com Jó, apesar de todo o relato bíblico da “disputa” entre Deus e o diabo, acho que Jó só viveu na terra as consequências dos seus pensamentos, que era, pela sua declaração, o medo de perder, de sofrer, apesar de ser um homem fiel e temente à Deus, não pode se livrar das consequências dos seus temores. Acho que é por isso que o Senhor Jesus, na maioria de suas mensagens, nos instiga a confiar, esperar e descansar em Deus, instigando-nos a viver sem medo, na certeza de que Deus é Pai e que “até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Mateus 10:30 Ainda diz que de maneira nenhuma se não nos tornamos como crianças - que vivem dependentes de seus pais - se não dependermos de Deus, não herdaremos o Reino dos Céus. (SIC) Mateus 18:3 Quem confia, sabendo em quem confia, não tem medo. Quem tem esperança, sabendo de quem vem, descansa sem se preocupar como virá, sabe que virá da melhor maneira possível. Vivam na dependência de Deus, sejam filhos(as), que Ele, sem dúvida, vos será Pai, provendo tudo da melhor forma. Sem fé é impossível agradar a Deus. Hebreus 11:6

Nenhum comentário:

Postar um comentário