domingo, 27 de janeiro de 2019

BÍBLIA: APROVAÇÃO DOS HOMENS X GRAÇA DE DEUS



 A tendência do homem é acreditar em si, no seu entendimento e na sua capacidade e,
geralmente, procura exaltar as suas conquistas e esconder os seus fracassos, para não parecer fraco, vulnerável, inferior. Quando entende que tudo está bem, se mostra e se dispõe a parecer bem (orgulho), mas quando algo está mal e/ou dá errado, tende a se esconder, se enclausurar, para que outros não contemplem a sua fraqueza, o seu estado de vulnerabilidade e/ou de inferioridade (vergonha). Quem se preocupa muito com o parecer dos outros, sofre por querer ser aceito, para ter aprovação, vive o que os outros acham e pensam de si, não tem sossego, sua mente o consome, pois acha necessário o seu devido reconhecimento. O religioso geralmente é a maior vítima dessa forma de pensamento, acredita que Deus só lhe garante algo, se fazer por merecer, se fazer jus. Sua mente lhe perturba quando se vê incapaz frente aos desafios que a religião lhe impõe e, para compensar, tende a querer a justificação dos homens, para se sentir aceito, acreditando que os pareceres dos mesmos são iguais aos de Deus. Enganam-se, “por que os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor.” Isaías 55:8 Deus nos chama para uma vida de humildade, de descanso, sem se preocupar com pareceres mundanos, mas conforme o seu amor, que nos constrange a vivermos em gratidão. Quando encontramos a Paz de Cristo (João 14:27), tendemos a viver sem filtro mundano, sem se preocupar com as aparências, e vivemos conforme as exigências do amor de Deus, que excede todo entendimento humano (Filipenses 4:7). Nos desprendemos das amarras da religião e nos apegamos à verdade. Quando entendemos o evangelho, a sua real mensagem, acabamos nos libertando de tudo que ainda nos prende a essa vida e passamos a nos dedicar à verdadeira vida, a eterna. Passamos a viver confiantes, como em Romanos 8:37-39 descreve “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” Já não existe mais o engano, a incerteza, o orgulho e a vergonha, o triunfo e o fracasso, passa a existir somente a certeza de que “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” Gálatas 2:20 Não preciso mais da aprovação humana, “pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” Marcos 8:36. Ele já me garantiu uma vida em abundância e eterna, quando eu não merecia e nunca a merecerei. É pela graça, é de graça, GRAÇAS!

Créditos: Patrício Félix

Nenhum comentário:

Postar um comentário